• Rubia Arce Administradora do Blog

ENTERNECER


Apaixonei-me por esta palavra logo que a li. Quando me aprofundei sobre seu significado, encantei-me ainda mais. Ela significa fazer ficar ou ficar terno, amoroso; abrandar(-se), suavizar(-se). E também tornar(-se) sensível, compassivo; condoer(-se), sensibilizar(-se).


Fiquei pensando sobre como passam por nossas vidas todos os tipos de pessoas. Claro que, cada uma tem seu propósito de estar ali e o tempo certo de permanecer. Tem aquelas que vêm para somar, outras para subtrair, outras para dividir, e tem, ainda, as que vêm para multiplicar.


Algumas pessoas andam tão armadas, prontas para atirar em quem quer que seja que atravesse seu caminho. Outras, não perdem a oportunidade de criticar, ainda que não lhe seja solicitado, pois têm a necessidade de mostrar o quanto pensam que são melhores que os outros. Outras, quando as encontramos, sentimos como se elas trouxessem peso para nossas vidas, pois andam carregadas de reclamações, palavras negativas, pensamentos de tristeza, nem sempre com motivo aparente. Mas tem aquelas, que quando chegam, enternecem a vida da gente.


Como temos precisado de pessoas enternecedoras. Cujo acolhimento seja sua característica mais marcante. Que, seja com doçura ou alegria, têm o poder de tornar os ambientes mais leves, acalmar corações, iluminar mentes. Pessoas capazes de mostrar o lado bom da vida para quem quer que chegue até elas. Paciência, sabedoria, humanidade. Por incrível que pareça, existem pessoas assim. E perto delas é o melhor lugar.


Acredito que, tudo que contribua para nosso amadurecimento, é válido. Somos capazes de superar e transpor dificuldades que nem sequer imaginamos. Temos força para seguir em frente, apesar de todos os desafios. Mas, são as marcas que permitimos que permaneçam em nós, que nos moldam e determinam quem nos tornamos com o tempo. Falando de forma mais simplificada: Se entendemos as dores pelas quais passamos de forma “oh céus, oh vida”, terminamos por sentir pena de nós mesmos, e nos apegamos ao sofrimento como se fosse parte integrante de nós, a ponto de não conseguirmos mais viver sem sofrer, ou, nos transformamos em pessoas amargas, e contaminamos quem está ao nosso redor. No entanto, se conseguimos enxergar nossas dores como aprendizado, algo que nos lapida e nos torna mais fortes, melhores por dentro, o sentimento de gratidão é inevitável, e a energia que emanamos chega a ser capaz de transformar, não só a nossa vida, mas a de quem está ao nosso redor.


Às vezes, nos perguntamos: Por que aquela pessoa é tão alegre? Por que a gente se sente tão bem perto dela? Por que, quando ela chega o clima muda e o ambiente fica mais gostoso? Então, eu pergunto: Seria por que ela não sofreu? Ou não sofre? Ela não passou por dificuldades, dores, desafios? Ou pode ser por que você sofreu mais do que ela? Então você teria mais motivos para se tornar uma pessoa amarga do que ela? É muito fácil a gente se justificar. A gente justificar nossos erros pelos erros dos nossos pais, nossos irmãos, nossos cônjuges, nossos amigos. A gente culpar o mundo pelo que deixamos de fazer, ou por não sermos pessoas melhores, ou mais felizes. Porque, quando a culpa está no outro, é mais leve de carregar. E podemos arrastá-la por toda a vida.


Quem você escolhe ser é responsabilidade unicamente sua e de mais ninguém. Como você encara as memórias que você carrega da vida é escolha sua. Quem escolhe não perdoar e ficar preso ao que aconteceu e justificar todo o seu comportamento hostil, é você. Embora isso pareça pesado demais, assumir a responsabilidade da própria existência, significa tomar as rédeas da vida. Isso muda a perspectiva que temos sobre o que vivemos, e transforma a nossa maneira de decidir sobre o que ainda virá.


Você pode escolher ser uma pessoa gostosa de se conviver, para você mesmo e para os outros, ainda que tenha passado pelos piores e mais pesados desafios. Não é à toa que você ainda está aqui, de pé, apesar de tudo que passou. O lance é não desperdiçar esse tempo que você ainda tem nesta vida, com amarguras e sentimentos que não te levarão a lugar algum.


Luz e Paz!

Até a próxima!


Eu sei que você conhece alguém que precisa ler isso! Então, compartilha! Deixa seu comentário aqui abaixo para a gente saber sua opinião sobre nossos textos. Isso nos ajuda a construir um Blog melhor.





Destaques
Arquivos
Siga-me