• Rubia Arce Administradora do Blog

ENCONTRA-TE



Não vemos as coisas como são, vemos as coisas como somos.

Anais Nin


Das reflexões que caminham por esta pessoa que vos escreve.


Sabe quando lemos algo que faz tanto sentido, que temos a impressão de que foi escrito para nós? Dessas felizes “coincidências” que nos apresentam algo que nos conecta a outro algo maior? Na verdade, a gente se conecta com aquilo que diz sobre nós em algum nível.


Ter a consciência de que tudo que sai pela nossa boca, é um transbordar do que carregamos por dentro, nos proporciona um olhar mais clínico sobre o que temos carregado em nós, mas também, o que o outro carrega em sua essência. Prestar atenção nas reações e palavras de outras pessoas, principalmente, diante de temas mais relevantes, digamos assim, para a humanidade, nos permite enxergar o que este outro possui dentro de si.


Como seres em eterna evolução, vivenciando uma oportunidade de ser melhor a cada dia, nos deparamos com as mais diversas experiências, que, em sua maioria, envolvem outros seres. Aqueles que, de alguma forma, perpassam nossa existência provocando algum tipo de reflexo, que tem o poder de causar transformação no nosso pensar, agir, realizar. Segundo a visão de muitos: Seres “colocados” naquele lugar, naquele momento, para nos oferecer aquela determinada experiência. E, vez ou outra, nos vemos atingidos, seja positiva ou negativamente, pelas ações, palavras, de um alguém, que abalam nossas estruturas, mexem com o que estava estabelecido em nós, e nos surpreendem.


Alguns encontros deixam marcas poderosas em nós. Claro que já sabemos que, cada marca deixada em nós, corresponde ao nível que permitimos. Já que, depende da abertura que damos para aquele episódio. Porém, tudo aquilo que verdadeiramente integra nossa essência, teria, em tese, maior poder de nos atingir.


Saber servir-se de cada encontro, seja aquele que nos traz uma provocação válida, ou aqueles que nos oferecem uma visão mais clara do outro ser que nos fala, e, ainda, nos permitir perceber a nossa própria reação diante do que ouvimos, nos traz a essência do que significa sabedoria. O que se torna cada vez mais essencial, quando nos referimos a uma sociedade fragmentada, onde é preciso, muitas vezes, se posicionar para sobreviver. Estando, neste perceber o outro, e a nós mesmos, a oportunidade de encontrar semelhanças e divergências que nos tragam aprendizados valiosos, que contribuam para a validação da nossa própria existência.


Em outras palavras, saber que, o que o outro diz, corresponde ao que seu coração carrega, nos possibilita a escolha de quem se encontra em uma posição de autoconhecimento e abertura mais semelhante a nossa, para, assim, sabermos com quem podemos partilhar nossos conhecimentos, sentimentos, pensamentos, acerca de temas mais específicos, sem promover conflitos; e a quem devemos respeitar o tempo de desenvolvimento, até que estejam prontos para conhecer e absorver algo novo.

Quem conhece os outros é sábio; Quem conhece a si mesmo é iluminado.

Lao-Tsé

Encontra-te no que lhe é semelhante. Mas, tenha a coragem de nunca perder sequer uma oportunidade de se permitir conhecer algo que vá além do que você acredita estar estabelecido em si.


Seja qual for o nível de desenvolvimento humano em que você se encontre, sempre haverá alguém por perto que caminha em ritmo semelhante. Assim como, sempre haverá alguém que trará uma provocação que precipite em você a sede pela transformação que há de vir. Em ambos os casos, seria sábio aproveitar.

Luz e Paz!

Até a próxima!











Destaques
Arquivos
Siga-me