Buscar
  • Sil Pimentel

APENAS POR HOJE


Por hoje, eu decido não sofrer por nada nem ninguém, prometo me sentar embaixo dessa árvore e deixar fluir toda minha dor. Dormir sob a brisa leve, o som das folhas se abraçando, os pássaros sussurrando numa melodia única de paz e prazer.


Por hoje, eu decido esquecer que um dia eu me perdi de mim a ponto de me deixar ser conduzida pelo acaso, perdida da minha essência, eu me deixei levar por aquilo que queriam pra mim.


As vezes que chorei sozinha no meu quarto, quando não tinha o que comer em casa, não por falta de condição para adquirir, mas por covardia de outro alguém, marcado por seu sistema, que ao se juntar ao meu, causou um caos tão grande, que por pouco não findou minha centelha de vida.


Por hoje, eu escolho me calar, me abster das palavras, para sentir de volta minha verdade, meu EU verdadeiro, e aqui, sob a proteção da lua e das estrelas, eu reencontre quem eu deixei partir, mesmo sem perceber que de mim fugia!


Hoje, eu quero sentir DEUS inteiramente em mim, sem nada para interferir, sem barulhos externos, já que meu coração grita, sangra e chora copiosamente.


Fala-se muito hoje, com maior ênfase, sobre amor próprio, e eu quero recuperar esse amor que eu perdi, ainda na minha infância, quando era abusada por quem devia me proteger, quando eu era abandonada por quem devia me abraçar forte!


Hoje, aos 45 anos, eu ainda busco encontrar esse amor, que às vezes penso nunca ter conhecido de verdade, quando me olho no espelho (faz tempo que não o faço, e não te aconselho a fazer). Há tempos eu não me permito parar na frente do meu espelho por que já não vejo aquele brilho no olhar da minha criança, essa mesma criança que eu defendia com unhas e dentes, e que era sempre a minha alegria na dor, minha força, minha fonte inesgotável de coragem, esperança e amor.


Ah, minha criança, quanta saudades eu tenho de ti. Lembra-se de quando corríamos nos matos procurando pequi? Lembra-se da vez que encontramos um monte de frutas, bem juntinhas, e fizemos festa ao pensar ter encontrado o tesouro perdido? Não estava perdido, tinha dono, e saímos de lá correndo apavoradas, mas muito felizes! Minha infância foi linda, apesar das brigas, das surras... Minha mãe era boa na vara de goiaba.


Já me perguntei várias vezes o porquê de crescer, não devíamos. Crescer faz parte, não devíamos é jamais parar de sonhar, isso sim, o sonho alimenta a alma!


Ah, minha querida, não sofra, chore até se limpar de toda dor, sangre até acordar novamente pura e sem pensamentos ruins, sem julgamentos, principalmente, JULGAMENTOS EM SI, esses são os piores. Não se cobre, não se torture. Os desafios do nosso dia a dia já o fazem de maneira constante! Não se permita desistir, olhe para trás com a certeza de que o deserto vai se findar, já está por um triz.

O amor que desejas encontrar aqui fora, já está servido em bandejas douradas dentro de você, sim, bem aí dentro, nessa imensidão de meu DEUS que é seu ser!


A alegria abundante, a felicidade que não acaba está aí, bem juntinho do seu coração que pulsa, pulsa, e não para de dizer que você não está só!


Engana-se quem pensa que, com a mesma medida que serve, será servido. Não será. E não é culpa sua. Você fez demais, você se deu por inteira, se entregou por inteira, seu erro foi esperar que receberia na mesma quantidade!


É você e mais ninguém que tem que saber fazer suas escolhas e, principalmente, assumir as consequências dessas escolhas!


Mulher, menina, moça, a essência do poder da vida, de dar a vida, de dar e receber amor sem medida. Aquela escolhida pra trazer ao mundo a realização de um sonho, seja pessoal ou profissional. Isso mesmo, você dá à luz a todo o momento, aos seus filhos, ao seu trabalho, aos relacionamentos, e a você mesma, todos os dias!


Menina, não desista. Eu sou grata por tudo o que você viu, viveu e produziu. Eu sou grata a todas as suas escolhas, sim, elas me fizeram ser quem sou hoje!


Mãe, companheira, amiga, parceira, que chora, que sofre e que vai a luta todos os dias. Que, na maioria das vezes, não quer sair da cama, mas uma força maior a faz acordar. A - COR - DAR!


Hoje, eu não queria nada, apenas colocar pra fora toda minha decepção, toda minha dor, todo meu sentimento de incapacidade. Mais uma vez, a minha escolha me faz sofrer. A decisão de construir uma família não pode ser a qualquer custo, vidas estarão em jogo, a sua paz, a sua saúde física e emocional, e muito mais!


Hoje, eu posso dizer, sem a menor dúvida, que deveríamos criar nossos filhos e filhas para um mundo melhor. Mas, principalmente, criar esse mundo melhor em nós, é nossa responsabilidade!


Nas escolas, as disciplinas deveriam incluir educação financeira, inteligência emocional, gestão de tempo, gestão de pessoas, para que não estivéssemos, hoje, sofrendo de males da alma, muito mais que males do espírito!


Por hoje.