• Rubia Arce Administradora do Blog

SAUDADE


Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida.

Bob Marley

Temos falado muito sobre a falta que as pessoas fazem em nossas vidas. Talvez, nunca tenhamos nos dado conta do quão pesado seria não ter a presença física de certas pessoas ao nosso redor.


Quando a internet veio, e com ela, as redes sociais, agimos como crianças que acabaram de ganhar um brinquedo novo. Muito se questiona, até hoje, como isso nos aproximou de pessoas que estavam longe e nos afastou das que estavam por perto. Mães e pais, sempre com celulares nas mãos e filhos implorando por atenção. Homens e mulheres vidrados nas redes sociais e deixando seu cônjuge de lado. A vida acontecendo ao nosso redor, e a gente vivendo a vida dos outros, que, nas redes sociais, sempre parecem mais felizes que nós.


Aí, veio o isolamento social. E, muita gente teve que se afastar de pessoas que estiveram sempre lá, mas eram pouco notadas. Muita gente teve que se aproximar ainda mais de quem estava por perto, mas recebia pouca atenção por causa da rotina de trabalho, estudos, correria. Dizia-se: Não tenho tempo para minha esposa. Não tenho tempo para meus filhos. Não tenho tempo para meus pais. Não tenho tempo para meus amigos. Não tenho tempo... No entanto, agora, temos tempo de sobra, mas não podemos estar junto dessas mesmas pessoas que contribuem diretamente para a construção do lado bonito da nossa história. Agora, temos que nos falar pelas redes sociais. Olha que ironia.


Saudade... Dos abraços que não temos recebido, dos afagos, dos beijos e sentimentos que não conseguimos expressar pelas redes sociais. Saudade do calor humano, da presença, do cheiro, do carinho. E, tem dia que parece que dói mais. O vazio que a ausência de determinadas pessoas causa, nos mostra o quanto elas fazem falta. O quanto são importantes para nós.


Da mesma forma, tem gente que não faz tanta falta assim. Pelo contrário, sua ausência pode representar certo alívio. Pessoas que se tornam um peso para as outras. No sentido de se tornarem difíceis demais, carregadas de palavras negativas, patologicamente críticas, de sentimentos pesados, que transbordam por sua fala. Pessoas que se alimentam dos erros e desventuras dos outros, que não perdem a oportunidade de ressaltar o que de negativo tem acontecido ao seu redor. Todo mundo conhece alguém assim.


Penso ser uma reflexão válida para este tempo: Qual tipo de pessoa você escolhe ser? Qual contribuição você tem dado à vida das pessoas ao seu redor? O que você tem espalhado por onde passa?


Seja o tipo de pessoa que você gostaria de ter por perto. Não importa o que você tenha construído de negativo nas pessoas até hoje, você pode começar agora e fazer diferente. Aos poucos, ir mudando de atitudes, conquistando bons relacionamentos, sendo mais gentil. Deixar as acusações e críticas negativas um pouco de lado e substituí-las por palavras de afeto e compaixão. Praticar a tolerância com as falhas dos outros é um bom começo.


Agora, se você já é esta pessoa que prefere construir pontes ao invés de muros, que tem um círculo de amizade e familiares daqueles que valem a pena ter por perto, e sabe valorizá-los, que sabe ser aquela pessoa da qual todos sentem falta, pode ter certeza de que nesse momento tem alguém sentindo uma dorzinha no coração por não poder estar com você.


Só se sente saudades do que é bom e agradável, do que tem valor pra gente. Pessoas cuja presença traz um perfume bom para nossa vida. E, quando não estão lá, parece que falta um pedaço da gente. Se as pessoas com quem partilhamos momentos memoráveis, por menores que sejam, deixam saudades, quanto mais aquelas que transformam nossos dias em pequenos e significativos milagres, com suas palavras, seus afetos.


Saiba que, ter alguém de quem sentir saudade é um privilégio. E, ser alguém de quem as pessoas sentem saudade, é uma dádiva.


Aguente firme! Isso tudo vai passar! E o reencontro fará tudo ter valido a pena.


Deixe seu comentário e compartilha com seus amigos! Tenho certeza que você conhece alguém que precisa ler isso.




56 visualizações
Destaques
Arquivos
Siga-me