• Rubia Arce Administradora do Blog

TEMPO


Ah... O tempo. Dizem que quando nascemos, demoramos certo tempo para nos darmos conta de que somos únicos. Desde o início, vamos formando vínculos com pessoas, as quais vão despertando em nós sentimentos e emoções com os quais aprendemos a lidar ao longo da vida.


Com o tempo, ganhamos experiências que nos deixam marcas. Algumas mais profundas que outras. Sim, o tempo deixa marcas. Na pele, nos cabelos, na alma. E, ao passar dos anos, podemos dizer que permanecemos os mesmos? Até certo ponto, acredito que sim, no entanto a idade e, mais importante, as experiências, estão destinadas a mudar-nos de maneiras que nunca poderíamos imaginar. Mas, é aí que está a beleza da existência, nunca terminamos de mudar e evoluir – não importa quanta experiência tenhamos, a vida está sempre repleta de possibilidades!


Estamos passando por tempos de aprendizado. Cada um quer dizer o que vem aprendendo com a situação atual em que vivemos. Ano de 2020 D.C., e uma nova epidemia assola o mundo. Sim, já vieram outras antes. Sim, a humanidade já sobreviveu a todas elas. Confinamento, distanciamento, ausência de toque. Porém, talvez, o mundo nunca tenha visto mais demonstrações de afeto.


Como não falar sobre o tempo? Como não aprender sobre ele em momentos como este?


A maioria das pessoas precisa de mais “tempo” para descobrir o valor que ele tem. Talvez, quando nos depararmos com a sensação de finitude que a idade avançada nos traz, só assim tenhamos a visão correta do imensurável valor que “ter tempo” possui. Ou, quando nos deparamos com um diagnóstico que sugere o quanto somos vulneráveis.


A vida física nada mais é do que o espaço de tempo que temos entre o nosso nascimento aqui e nossa partida. A pergunta mais importante é: O que eu tenho feito com este tempo que tenho?


Quanto tempo você ainda tem?


Claro, somos lutadores. Lutamos muito para alcançar o que almejamos. Muitos de nós se entregam à correria intensa, se envolvem com milhares de coisas ao mesmo tempo, abraçam um mundo de tarefas e obrigações sem fim. Queremos ter mais dinheiro, mais sucesso, mais conforto. E, às vezes, entregamo-nos a uma vida “sem vida”, só esperando construir uma vida melhor. Queremos que as pessoas reconheçam nossos feitos, vejam o que de material adquirimos. E, talvez, só talvez, seja somente isso que elas consigam ver de verdade. Pois, as pessoas só veem o que mostramos a elas.


Um dia, ouvi uma pessoa sábia dizer: “Não há presente como o tempo”. Esta frase ressoou aos meus ouvidos como um dos maiores aprendizados que eu pude colher durante esta vida. Ela pode ser entendida e absorvida claramente de duas formas, a meu ver, extraordinariamente belas.


A primeira, seria que não há melhor presente para recebermos da vida do que mais tempo para viver. Mais tempo para respirar e sentir o ar passando por nossos pulmões, mais tempo para realizar os nossos sonhos, mais tempo para compartilhar momentos com quem amamos, mais tempo... E quão bonito isto é? Quão delicioso é saber que temos tempo para nos reinventar ou, pelo menos, tentarmos ser as melhores versões de nós mesmos?


A segunda forma de entender esta frase, tão simples, mas de imensa sabedoria, é que não há melhor presente para darmos às pessoas, que o nosso tempo. Todo mundo tem aquela pessoa com quem gostaria de ter tido mais tempo, todavia, o tempo dela terminou. Todo mundo tem aquela pessoa que ainda está aí, esperando que tenhamos tempo para ela. Não se pode mudar o que já passou, mas, com certeza se pode mudar o que ainda virá. Quando você oferece seu tempo a alguém, seja para ouvir e prestar atenção no que ela diz, seja para cuidar, seja só para ficar lá, sem dizer nada, tenha certeza de que está oferecendo o seu bem mais precioso.


Você pode construir grandes coisas e chegar ao topo, sim, porque tem capacidade para isso. No entanto, não terá o mesmo gosto se estiver sozinho para comemorar.


O que você acha de aproveitar este “tempo” que você tem tido de confinamento para reatar laços, dizer o que nunca disse, se permitir sentir o que, talvez, nunca tenha sentido, costurar com palavras o que tenha rasgado um dia? Já pensou que esta pode ser uma oportunidade que você está tendo de oferecer um pouco do seu tempo aos empreendimentos que você teria que obter mais sucesso, seus amores?


Seja qual for o seu entendimento sobre a vida, sei que você compreende o que eu escrevo aqui. Sei que você sabe sobre o que eu estou falando.


Por isso, não tente se controlar. Se solte, é aí que a diversão começa. Viva, respire, aproveite, curta! Deixe que seu coração bata forte de emoção, alegria, amor, afeto, admiração, felicidade. Realize sonhos, sinta a vida da forma maravilhosa que ela é. Mas, faça tudo isso de mãos dadas com as pessoas que compõem a parte mais importante da sua vida. Reserve um pouco mais de tempo para elas.


E, o mais importante, seja grato por ter mais tempo. Nunca se esqueça: Não há presente mais precioso do que o TEMPO.


Compartilhe com seus amigos, deixe o seu comentário. É muito importante para nós!




71 visualizações
Destaques
Arquivos
Siga-me