• Ana Reis

TINHA QUE SER MULHER!


Tinha que ser mulher, aí você já sabe como é!

Como é?

Não se sabe ao certo quando começou...

Mas, ela sempre ouviu assim, você não sofre, é forte!

Tem que realizar o maior número de coisas que puder!

Lavar, passar, cozinhar, procriar, ser boa esposa

Boa mulher! Servir quando o outro quiser

Votar, trabalhar, estudar, nem pensar...

Sempre ouviu assim... Isso que é ser boa mulher!

Até que um dia ela se questionou

O que é essa tal mulher?

Com o tempo, passou a pensar o peso de ouvir

De forma debochada, carregada, a frase

Tinha que ser mulher!

Uma expectativa, frustrada

Desde a idade média estigmatizada

Marcadas no nascimento

Esperava-se um homem, rebento

A primeira coisa dita com rejeição era...

Tinha que ser mulher!

Ali, já se iniciava uma divisão

Às mulheres, submissão,

Mas, será que isso é ser mulher?

Até que ela decidiu pensar, refletir

Construções sociais, desiguais

Poder dado ao homem

Eliminado de toda mulher

O medo leva a repressão

Todos no fundo conheciam então

O poder no nascimento de cada grande mulher

Chiquinha Gonzaga, Frida Kahlo

Malala Yousafzai, Tarsila do Amaral,

Zuzu Angel, Nise da Silveira

E também a Maria, aquela sua vizinha

Que não quer ser mais só a esposa do José

Cada uma é única, grande mulher

Seja na música, na arte, ditadura também fez parte

Nos combates pessoais, coletivos da luta de cada mulher

A erupção dessa força enclausurada

Que foi cortada a chibatada, mutilada, violentada

Rompemos com um ciclo, uma estrutura

Buscamos a cura, libertação

Estereótipo arraigado, não se encaixa mais não

Decidiu romper, transbordar, ressignificar!

Quando ouvir força, poder, inteligência, sabedoria, resiliência

Você pensará instintivamente

Tinha que ser mulher!

Compartilha com as mulheres que você conhece!

101 visualizações
Destaques
Arquivos
Siga-me