• Rubia Arce Administradora do Blog

GIRASSÓIS


Muito se ouve dizer sobre a forma admirável como os girassóis acompanham o Sol. Durante todo o dia, desde quando o Sol nasce até o seu poente, o girassol está sempre virado em direção a ele, como se buscasse a energia e a vitalidade do Sol para viver. Isso acontece porque o girassol é uma flor heliotrópica, ou seja, gira o caule sempre posicionando a flor na direção do Sol. Durante a noite, a flor se inclina para baixo, como se se protegesse da escuridão e aguardasse a volta do Sol no amanhecer.


É claro que isso pode representar uma super inspiração para nós, quando interpretamos e trazemos para nossa realidade. Quantos momentos escuros podem passar por nossas vidas? Quantos abismos enfrentamos todos os anos? Quantas vezes somos levados ao chão pelas circunstâncias, e, num primeiro instante, não sabemos como nos levantar de lá?


Nessas horas, temos, no mínimo, duas opções: Sucumbir à dor, e se entregar ao desespero, ou olhar em volta para tentar enxergar onde está o “Sol”.


Mas, qual seria esse “Sol”? O que seria essa luz que vem para aquecer e iluminar nosso caminho, ou o caminho que poderíamos trilhar se não estivesse tão escuro? Sim. Há momentos em que todas as portas se fecham e as luzes se apagam. Sem aviso prévio, sem preparação. Simplesmente tudo se esvai, e o que sobra é somente escuridão. Por isso, não enxergamos algo que pode estar bem à nossa frente. Além disso, vem o calor, que aquece os pensamentos frios e tortuosos, que derrete o gelo que vinha petrificando o coração e fortalece para caminhar novamente.


Esse “Sol” pode vir de forma diferente para cada um. Não existe uma receita fixa, uma forma linear de encontrar a luz novamente. Para alguns pode ser uma pessoa, alguém que, às vezes, nem chegou a ser chamado de amigo ainda, mas chega na hora certa, pega o nosso rosto e vira para o “Sol”. Para outros, pode ser um amigo que chega com seu amor, aquece nosso coração, nos lembra de quem somos e nos mostra onde está o “Sol”. Para outros, pode ser retornar ao seio familiar, voltar às origens e recarregar suas forças. Tem ainda, aquele livro que muda nosso olhar sobre a vida. Aquele filme que já assistimos tantas vezes, mas que, agora, nos vem com uma mensagem que nunca havíamos prestado a atenção antes. O altar de uma igreja ou irmandade, o abraço de um irmão, um gesto que não esperávamos, um milagre. Um psicólogo que consegue nos ver por dentro, um terapeuta holístico que abre a nossa mente e alma para outra visão da luz. São tantas as possibilidades, tantas formas de encontrar o caminho de volta.


Não importa de onde venha a luz, ela vem. Mas é preciso esperar por ela. É preciso saber que ela virá de algum lugar, nem sempre do lugar esperado ou da forma esperada. Por isso, é preciso estar atento aos sinais.


Vou dar um exemplo que aconteceu comigo. Já havia assistido ao filme “ O Rei Leão” inúmeras vezes. Quase sabia de cor as falas. Entretanto, fui assistir ao filme novamente e, pela primeira vez, uma fala do filme disse ao meu coração. Quando o personagem Mufasa aparece para fazer Simba retornar ao seu reino para retomar o seu reinado, ele diz esta frase: “Lembre-se de quem você é”. Eu estava exatamente no momento em que precisava de alguém que me lembrasse de quem eu sou, já que eu havia esquecido. Naquele momento eu soube que era isso que eu precisava.


Tenho certeza que momentos assim já te ocorreram. Um simples detalhe, uma pequena luzinha que se acende e você consegue enxergar.


Algo que tocou a minha alma e virou o meu hino, foi a música da Kell Smith – Girassol - esta do vídeo abaixo. Ela me fez me lembrar que é isso que eu sou e sempre fui.


“Quando já não sei qual é a direção, e tudo o que posso é seguir meu coração, é por instinto que eu encontro a luz, sou girassol.”

Que você nunca se esqueça de quem é, e do que representa ser você nesta vida. E, se você se esquecer, que você tenha sempre alguém para te lembrar. Que, por mais escuro que às vezes possa parecer, você sempre saiba se virar em direção ao que significa o “Sol” para você. Que saiba dar as costas para o breu, e ser fortalecido pelo calor intenso da luz. E que nunca, nunca deixe de acreditar.


Compartilhe este texto com seus amigos, deixe seu comentário. Conte-me sobre quem te ensinou a ser girassol e em que momento.


Luz e Paz!

Até a próxima!





113 visualizações
Destaques
Arquivos
Siga-me